O Pior Dia da Minha Vida

Sim…agora outro post que é totalmente real…

Oito de março é uma data linda. Dia das mulheres em homenagem a algumas operárias que tiveram a infelicidade de morrerem queimadas juntas em uma fábrica e aquela coisa toda que todos conhecem. Também é o dia do aniversário do meu irmão, o que é um motivo de zoação pelo primeiro fato, mas não dá pra desligar ambos os fatos. Porém às vezes…Um dia feliz para um, é um dia muito triste para outros. No caso, sim…Eu…

Era exato oito de março de 2006 minha rotina consistia em: Escola, Curso, Banda e Casa…Seguirei essa ordem cronológica.

Escola: O dia ja começou mal porque pela primeira vez em alguns anos na escola eu estava pronto para ir novamente para um dia comum, de terceiro ano, porém, algo saiu fora do controle. O clássico despertador que não desperta. Aconteceu comigo e acordei afobadíssimo pronto para ir logo a luta e correr pra aula, o horário super avançado e o pior, teria que entrar na segunda aula. Pra muitos normais, para mim abominável. Ja cheguei de mal humor e até minha atenção chamaram porque de tão ranzinza, eu estava conversando para aliviar, mas os professores nao gostaram e reclamaram absurdo quanto a isso. Fora isso no intervalo um pessoal deixou cair em cima de mim um pouco de refrigerante(pouco pra ser generoso) e a partir dai ja começava a querer aceitar que o dia não estava sorrindo pra mim.

Curso: Almocei em casa correndo pra nao perder o curso. Para ir era um caminho de 1,7 quilometros para ir(Segundo o Google Maps) e 1,7 km pra voltar. Tempo quente, o sol estava mortificante porque era o começo da tarde, horário que meu curso começava. Chegando no curso, indo começar, acaba a energia. Obviamente nenhum aluno foi dispensado porque seria uma queda rapidinnha, porém,ledo engano Leda Nagle(saudade do Leis de Murphy) pois é…Eu ja quase nao estava bastante grilado com a vida, agora estava grilado com a vida e parado olhando para os colegas e para o professor em uma sala semi-escura. Sou obrigado mesmo. Mas la ficamos, parados por mais de uma hora esperando a energia voltar. Eu podia sim sair pra fora, mas nao tinha nada pra fazer lá tambem. Uma hora de minha vida jogada fora. Fui embora depois com a clássica frase: Será que pode piorar?

Banda: Essa é clássica…É claro que pode piorar…Óbvio… E piorou… Eu era trombonist da Banda Marcial de Goiania e meu irmão Bombardinista, daí meu case(lugar onde guarda) pesava em média 4,5 kg e o do meu irmão pesava 8,5 kg em média. Todos eles sustentados por alças e o do meu irmão abria com facilidade. Mas prossigamos. De casa pra banda eram exatos 2 quilometros de casa e sempre ia levando meu trombone claro, porém nesse dia meu irmão estava treinando em outra cidade, minha mae com a cara mais bondosa do mundo ordenou-me para levar o instrumento do meu irmão. Fui murmurando o caminho inteiro porque estava levando os dois instrumentos pesados e o pior, levando o mais pesado pro meu irmão.

Cheguei na banda um prédio de 4 andares e claro que eu ensaiava no ultimo e sem elevador. Subi as escadas com os instrumentos e o do meu irmão abriu no meio da escada, recolhi o instrumento e continuei subindo, chegando no destino me disseram que seria um ensaio lá embaixo. Desci as escada murmurando mais ainda e cheguei embaixo meu regente estava falando que so estava conversando e que era pra subir. La vai eu de novo subindo as escadas. Pegamos as partituras e quando olhei, um compasso que nunca tinha visto na vida. Apanhei até pra pegar o começo da música e fui torcendo pro ensaio acabar logo. Demorou bastante claro, mas quando acabou, o alivio do final só foi abafado pelo som dos trovões que gritavam. E caiu o pé d’água. Fiquei uns quinze minutos esperando a chuva ao menos diminuir e nada , porém, quando ela diminuiu pensei, é…ficou pior e fui embora, mas no meio do caminho, a chuva reencontrou forças para molhar um certo cidadão de mau-humor murmurante: Eu. E cai o maior toró de novo só que agora, comigo debaixo dele. O instrumento do meu irmão não parava de abrir e cair e eu a catar o instrumento dele, e o que eu ainda estava fazendo com ele? O seguinte, por causa da chuva, ele nao foi pro ensaio. Então quer dizer que levei à toa? Isso mesmo, grande dedução. Quando notei que ele nao ia a raiva subiu a cabeça e vontade de esmagá-lo foi grande. Mas continuando.

Como tudo é cômico se não fosse trágico, chegando perto de casa estava em frente a minha igreja e notando que os carros estava fazendo “ondas” com a água da sarjeta. Eu fui andando escondendo atrás das árvores. Porém, vi um carro vindo a toda com uma onda que batia pelo menos no meu pescoço, sai correndo pra esconder atrás de uma das árvores o instrumento do meu irmão abriu, abaixei rapido pra pegar e quando vi, o carro passou e a onde me cobriu me molhando INTEIRO. Ai que nao aguentei…Explodi e murmurei coisas feias, apertei o passo pra chegar e casa e vejo meu irmão na garagem. Atiro o instrumento dele em cima dele e jurei nunca mais carregar aquela…[INSIRA UM PALAVRÃO FEMININO AQUI]…mais. Ele só riu sarcasticamente e quando olho pra porta lá está minha mae pronta para a ultima fase do meu dia…

Casa: Minha casa era abaixo do nivel da rua, e por causa de um recipiente que meu irmão mais novo usou e nao jogou fora direito, entupiu a saída de água, e com isso a água não escoou e pulou a conteção de água que tinhamos na porta, ou seja, como a chuva foi “cavalar”, inundou toda minha casa e a unica forma de tirar era com panos molhados com a água de dentro e torcendo fora, e era justamente esse pano que minha mãe estava me estendendo quando cheguei. O meu irmão segundo ela estava muito cansado para ajudar então lá fomos eu e minha mae limpar todo aquele aguaceiro e eu louco pra dormir para acabar o dia logo. E nada melhor que encerrar o dia tomando um banho quente né. Mas quando o dia é o pior de sua vida, nem isso é relaxante. Estava tomando banho e eu era alto e o chuveiro baixo, como estava super estressado, esqueci-me de um detalhe básico, o fio do chuveiro estava descascado e ao lavar minha cabeça, la vem a corrente toda percorrendo meu corpo molhado de pés descalços. Foi tão forte que além de derrubar a fase da casa deixando todo mundo no escuro, me fez agachar involuntariamente. Fiquei um tempo agachado e dizendo pra mim mesmo: ” Quero dormir…quero dormir…” Sai tremendo do banheiro, vesti a primeira roupa que achei, me joguei na cama e antes mesmo que a luz se acendesse novamente, eu já estava apagado. Dando final assim ao PIOR DIA DE TODA MINHA VIDA.



Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s