Um tempo a mais

Estive cuidadosamente pensando nos últimos acontecimentos, que já nem são tão últimos assim. Estive pensando em erros, em como o medo e a falta de certezas podam nossos sonhos, em como é importante ter alguém acreditando e dizendo que sim, somos capazes. Acreditar, estive pensando nisso também. Em ser capaz, lutar pelo que se quer e como isso é difícil. Como é complicado lutar contra tantas pessoas, e principalmente, como é difícil lutar para que você mesma pare de sabotar seus próprios planos.

Estive pensando na energia que gastamos para esconder nossos medos e traumas e como eles, dissimuladamente, nos entregam em cada atitude. Por tudo que vivemos vamos aprendendo a contar pouco da nossa vida e começamos a melindrosa tarefa de falar e sentir por entrelinhas. Como se não fosse suficiente, atribuímos aos outros a obrigação de adivinhar e por si só descobrirem o jeito certo para acertar e agradar. Tenho pensado que falar também não é a solução, ultimamente tenham achado as palavras demasiadamente desnecessárias.

Aproveitei também para pensar em amizade, nesses seres que às vezes parecem anjos, outras demônios. Há algum tempo me pergunto sobre a veracidade de alguns que estão ao meu lado e honestamente mudei de assunto porque não estava preparada para o que iria descobrir.

Estive pensando sobre pessoas que dizem que isso ao aquilo não são importantes em um relacionamento, mas que contraditoriamente supervalorizam o que disseram “não ser importante” te mostrando como, hoje em dia, coisas como sentimentos, caráter e confiança são totalmente descartáveis perto de uma palavrinha de quatro letras. Ando percebendo que se você decide não fazer parte dessa realidade, você é simplesmente descartado e esquecido como um filme ruim.

Estive pensando em quando você cria coragem para dizer o quanto gosta de alguém, e a forma como tudo se acaba quando a pessoa se afasta e diz: ‘a gente tá só se conhecendo’. Isso me fez pensar em como o tempo é relativo e como um ano pode significar nada para alguém que consegue substituir pessoas em prazos tão curtos.

Estive pensando em saudade, em como ela machuca e isso me faz pensar em tantas outras coisas que não deveriam mais estar em meus pensamentos. Tenho descoberto como a saudade tem o poder de me deixar sem ar. Estive pensando em como é possível sentir saudade desmedida de alguém e de repente, por tantos acontecimentos, perceber que o desejo que o esquecimento venha é o que fala mais alto.

Andei pensando sobre como algumas coisas demorarem passar, o que faz da minha má vontade em me apegar totalmente justificáveis. Estive pensando em coisas que não posso e não quero explicar. Aprendi que existem coisas para as quais ainda não foram inventadas palavras.  Provavelmente seja melhor assim, sem palavras para tudo e com explicação para quase nada, nos dando o luxo de simplesmente sentir e desejar, como todas as forças, que tudo isso vire apenas lembranças.

No mais, estive pensando em você com todo coração.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s