Um Carnaval Fora de Série – Parte 2

guardanapoO PRIMEIRO DIA OFICIAL: Foi um dia que se fôssemos resumir em uma palavrinha seria violão, porque nós tocamos violão pelo dia inteiro, seja tanto na área, quanto na porta da padaria, seja onde fôssemos, e ainda David conheceu a Convencida Eveli… Dessa forma cantamos muito e também foram cantados, meninas passando na porta e assoviando e coisas assim… Resolvemos fazer alguma coisa e o que veio na cabeça foi mesmo ir dar uma volta e talvez, muito provável, ir jogar sinuca… Dito e feito, primeiro bar com mesa chegamos e começamos a jogar…Eu super inexperiente só encaçapei uma bolinha, o resto estavam num duelo…O Heglert perdeu todas, o David ganhou todas…O Chicão saiu feliz e eu também… E quem tava lá??? O Faustão careca,e  claro com aquele seu carro e seu som chato anos 70…Bebemos nossa Coca e fomos de volta pra casa, antes uma gata passou na frente do bar e vimos que entrou em uma casa lá perto, passamos na porta umas tres vezes… Então estávamos a planejar o que fazer a noite, e a chave disso tudo foi a Lanuce, ela que conhecia as amigas certas para os meninos… Daí ela disse que era só chamar e marcar… Então todos empolgaram…E enfim, começaram os preparativos pra grande noite… Eu estava mais tranqüilo que eles, claro, mas eles estavam empolgados mesmo, porém um tempinho antes de tudo começar eis que surge um programinha pra fazer: Ir buscar a bateria. Mas quem foi foram o Heglert, Chico e David [David Escrevendo], Pois é…estávamos indo feliz buscar, quando cheguei lá na igreja pra pegar vi e pensei…” gente que bateria é essa ? não acredito que é essa bateria…Gente a bateria era um lixo ! Mas eu toco pra Deus, então não podemos reclamar, mas…ai que se engana, tivemos que voltar a pé da igreja até a casa da Sirlene, era perto, mais ou menos uns 7 kilometros, coisa que se fazia em 40 minutos, fizemos em 25, pois tínhamos um encontro marcado e confirmaríamos até as 22:00 hs, contudo chegamos em casa 22:15 hs, todas as meninas já tinham saído e ficamos com uma mão atrás e outra na frente…[Everton Escrevendo] Então o que fazer… Tinham deixado pra última hora então tínhamos duas opções: Espetinho, que conforme o tempo passava era menos possível, e Pizzaria, que acabou sendo o canal. Chegamos lá, mais de meia noite e enfim, começamos a pedir as coisas e olhando algumas “cocotinhas “ e conversando muito,

Porém agitada mesmo estava a boate, com dois meninos que estavam brincando de carrinho…Depois vem a agitação…Antes de ir embora, viram umas meninas em uma mesa então veio a idéia: Mandar bilhetinho…E o fizeram…Chamaram o garçom, muito gente boa, e depois escrevemos um bilhetinho pras meninas e pedimos pra ele entregar, enfim, elas receberam e começaram as risadinhas…Porém, a resposta foi que elas estavam indo o embora…O David grilou e falou também que não queria mais nada, porém elas não foram embora coisa nenhuma, demoraram e muito, fomos embora depois, depois que na mesa o Heglert derramou o copo no colo, o David ficou filando os caldos, depois de muito comentar e muito rir…E lembrar do Tutam…Então resolvemos ir embora, como sempre aquela brincadeira pra pagar a conta e enfim, fomos… Pra coisa ficar boa saímos da pizzaria e fomos rumo a casa da Sirlene, porém brincando muito, rindo alto e ainda por cima fazendo doidices como brincar de cavalinho sem camiseta…Estávamos falando tão alto que resolvemos ir pra Rodoviária conversar…E quando vamos pra lá quem vimos??? Sim, as meninas da pizzaria…Porém elas ficaram lá mais com medo ou sei lá o que, e só porque eu lembrei agora, o Faustão Careca tava lá Eating Like a Pig… Então as meninas ficaram lá olhando a gente de longe e a gente brincando muito com elas, mas enfim foram embora e resolveram subir no Cristo… E ao passar na porta da Prefeitura, logo após de impedir o David de mexer com duas meninas de moto, mas mexeu, vimos um cara com a roupa de vaqueiro toda branca (isso às 01:30) andando devagar indo e voltando… Daí virou o assunto, o Tiozão Fantasmão… Os meninos ficaram falando até, mas depois íamos subir no Cristo, mas mudamos de idéia… Resolvemos ir pra praça, e no caminho achamos um cachorro que tava zangado até com um gato lá na frente… O Heglert tratou de correr o mais pra cima possível, o David subiu em um quadro telefônico, e ficou lá em cima, o Heglert vendo subiu também e o David montou no poste… Depois desceu e foi logo pegando um tijolo… Os meninos estavam tão agitados que somente uma coisa os parou, além da incontinência do Heglert, que foi quando viram que uma viatura do GPT estava passando na avenida…Eles trataram logo de vestir camisetas e apertaram o passo…E põe apertaram nisso…Depois chegamos tentando ser discretos, mas quem disse que conseguimos??? Mas tentamos… Enfim fomos dormir a toda…

To be continued…

Anúncios

UM CARNAVAL FORA DE SÉRIE – PARTE 1

Essa história se passou por volta de 2008, só pra constar…

Apesar de o Murilo estar fora, nós não podíamos ficar sem fazer nada, então restou-nos duas opções… Achar o que fazer em Goiânia ou se aventurar em um convite feito pela Sirlene e ingressar no CARNAVAL DE PARAÚNA… No começo foi uma brincadeira, nada sério, até que chegamos mais perto da data e decidimos que ia… Eu(Everton) já estava convicto de ir, David tava animado, porém tinha ainda que arrumar dinheiro com os pais, Heglert falou em mulher…É ele…Francisco estava animado também pela festa e pra conhecer a Paraúna que ele não conhecia, AS CATS…Meus motivos eram muito bons, os meninos empolgados pelo carnaval de rua e ainda por cima pra pegar mulher mesmo, então decidiram mesmo que iríamos…Tudo combinado…Sexta-feira, 13:00 na rodoviária pra pegar o busão mais barato(Convencidos com restrição de orçamento) e enfim…Todos se prepararam…Ou quase todos…Começou comigo chegando no Chico por volta das 10:45, daí o Heglert passou por lá dizendo que ia se arrumar e que passava com o pai dele pra levar a gente pra Rodoviária…Então só faltava mesmo um…David, que já tinha saído de casa e que estava já a caminho, porém o primeiro sinal de tudo foi quando deu 12:30 e nada de David, e a informação que nos foi passada é que ele ainda ia pegar a mala no pai dele…Dito e feito…12:45 ele chega com empolgação e lá vamos nós pra banco pra pegar a mala que estava no porta-malas do carro do Valtinho…Porém o tempo corria demais e não estava dando pra acompanhar o ritmo… Quando chegamos na porta da casa do Chicão (Depois de ver a Naomy Campbell goiana) chegamos e corremos pra pegar a mala e entramos no carro do Tio Colbert, que viu Murphy fechando tudo quanto é sinal na nossa frente…Chegamos na rodoviária às 13:05 certinhos, o ônibus já tinha saído…Depois de pedalas e reclamações por ter que pagar o dobro da passagem só na ida e preocupado com o dinheiro que seria gasto lá, o David foi quase linxado lá, só não foi porque é CONVENCIDO, e um CONVENCIDO nunca apanha…Daí fomos marcar a passagem mais tarde… Chegando no guichê eu e o David, vimos a biba velha (ou para os mais formais, Homossexual Enrustido de Idade Avançada), que falou que o próximo  ônibus era seis e meia, mas no calor de tudo compramos ouvindo três e meia, e sim…Ao conferirmos o horário voltamos lá e a biba bateu o pé falando que tinha avisado(e tinha mesmo), mas já estávamos lá mesmo, era a hora… Agora, como aguardar das 13:30 até as 18:30??? O que fazer??? Resolvemos descer pra Praça de Alimentação, porém estava lotada e o Chico viu muitos colegas lá, o Heglert tava nem aí,  queria mesmo era povo, povo, povo… Então descemos e ficamos por lá, o povo reconhecendo o CHicão e o Heglert, mas de boa…Compramos uma coquinha e começaram a mexer com algumas meninas…São Convencidos ué…Daí compramos um lanchinho e comemos por lá mesmo e ficou nessa por enquanto, Eu(Everton) fazendo Sudoku, David e Heglert saíram pra dar uma volta e o Chico tentando fazer tarefa, claro que nem terminou a número 1… Mas na volta do Heglert e do David, eis que entram as meninas que foram a sensação dos papos nossos: AS LÉSBICAS…(David Escrevendo) era brincadeira, só pode…duas BELDADES…duas mulheres que se achavam lindas, mas com toda razão, e nós ( David, Heglert e Xico ) estávamos babando nelas, e elas iam e vinham, e as falas “nossa senhora, nossa o que é isso?” a acompanhavam…até…que uma delas disse : “ Vocês não tem outra Santa não ?”…Sem titubear o David disse : “Nooossa Senhora de Fátima”…depois disso foi risos até não parar. E continuamos a admirar até o último segundo antes delas partirem. Elas provocavam, e não era pouco, balançavam o cabelo, mostravam as pernas, exibiam-se e descaradamente, pra olharmos mesmo… Só o Everton não olhava, essa biba… (Everton escrevendo)… Desculpa se sou compromissado… Mas eram bonitas mesmo…E se foram…Depois delas ainda mexeram com o Smeargol, um carinha atrás de nós, com outras meninas e mulheres que desceram e por fim com o árabe…Muito comédia…

Enfim, por incrível que pareça a hora passou (Seria injusto esquecer…Sim…Encontramos a Talitinha) E a hora chegou, o David ainda queria fazer alguma coisa, acho que despedir, e o fez, porém enchemos até o saco dele…Assim, tinham dois ônibus, ou melhor, dois ex-ônibus, porque de tão velho nem pareciam…Até teia de aranha ali tinha.. Entramos já tocando violão e fomos zoando até a saída de Goiânia…Daí quietamos um pouco…David foi dormir, Heglert também e eu e o Chicão estávamos só aguardando e esperando, mas caímos no cochilo…Até chegar em Indiara, lá os meninos animaram do nada e começaram a conversar com o pessoal do fundo… Duas meninas e um carinha que estava indo pra Ponte de Pedra, já as meninas iam ficar em Jandaia e ainda por cima falaram que o carnaval ia bombar lá… Daí vem o primeiro sinal, o carinha disse que não ia ter nada em Paraúna, e a gente falou que não, o Chicão tinha dito que ia sim então ficamos por isso mesmo… |Momento “Na hora certa, a fala errada” – O David começou cantando: Agora sou solteiro e ninguém vai me segurar… O Heglert cantou: Passa talquinho mãe, passa talquinho… E o carinha pra completar cantou nada mais nada menos que: Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí… A gargalhada comeu solta, e daí virou lenda já…|  Chegamos em Jandaia e elas desceram e os meninos já estavam até mesmo querendo ir pra Jandaia, mas fomos rumo a Paraúna, segundo o Heglert já queria até mesmo chegar, tomar banho e cair na farra… Porém ao chegar em Paraúna, aquele Paradão…Total…David olhou pra fora e viu aquele bar cheio de machos e gritou pela janela: – Só tem macho nessa cidade, que cidade das TREVAS… O povo do busão já estava querendo jogar a gente pra fora, quando então chegamos na rodoviária e vimos a realidade da coisa…Não ia ter festa nenhuma nessa Paraúna…O primeiro dia terminou assim, fomos pro pit-dog onde nós conhecemos pela primeira vez o Gordão Presença, que como já não tem muita vitalidade mesmo, esbanja no som…Vai saber…Só sei que sai mostrando esse som das TREVAS, e o pior, estava naquela altura horrorosa, e ainda mais, músicas anos 70… Enfim, viemos embora e fomos ver se dormíamos, porém a diversão tava só começando… Pelo menos começou mesmo quando deitamos…Piadinhas e uma sinfonia de puns…Até que finalmente dormiram…

To Be Continued…

DAS ANTIGAS – PÉROLAS DOS CONVENCIDOS

Só pela nostalgia… Uma historinha que escrevi dia 10 de janeiro de 2008…

 

Hoje inauguro as “Pérolas dos Convencidos”…São momentos que realmente vai ficar marcado na eternidade e na internet é claro, dessa forma…sempre poderemos lembrar…E no primeiro Capítulo nada melhor do que inaugurar com uma Pérola do Chicão…

Nao tem melhor jeito de homenagear um amigo do que espalhando um ótimo MOMENTO DE PÉROLA do mesmo… O homenageado de hoje é o CHICÃO (que apesar de tudo voces vão ouvir muito sobre ele)… Tudo começou na igreja…o pastor trouxe uns amigos de outro estado…pra ser mais exato um senhor e sua esposa… Ele, há muito casado com ela estava contando a ocasião de terem se conhecido, que envolve uma mudança de cidade e a entrada em uma igreja nova… O que interessa é que quando ele estava falando sobre a primeira vez que a viu ele citou que ela estava cantando como um anjo (esse não é o nome da música) e que usava um vestido longo azul e tinha seus cabelos até as nádegas… Ao final do culto vem o Chicão, vira pra mim e diz…
– “O culto foi legal, só achei paia o que ele disse da mulher dele…”
Intrigado com que parte que ele achou paia resolvi perguntar…e ele respondeu numa leve pérola que vai ficar marcada…
“Eu nao falaria que minha mulher tinha cabelo na bunda…”
Quando entendi o que ele quis dizer e o que ele tinha entendido eu mão aguentei e caí na gargalhada… Expliquei e ele disse…
“É mesmo…”
E ficou maracado… Resultados: Um amigo que ficou rindo de si mesmo… Dois caras que tavam perto e ouviram e também caíram na gargalhada (David era uma deles)… Três dias curtindo com o Chicão… Tá bom…curto com ele até hoje…

Voce Partiu

A luz que cintilava em seu olhar,

A alegria em ver-me chegar

Senti que vi em  minha frente

A se apagar.

 

Era uma vitalidade impressionante,

Notava sua felicidade a todo instante,

A teimosia e a ousadia

Se tornaram um silencio apavorante.

 

Presente quando eu estava descontente,

Presente quando eu estava sorridente,

Expressava seu amor de sua maneira,

Foi sem duvida, minha primeira.

 

Mas hoje você partiu e não foi fácil,

Voce partiu mas não quebrou o laço,

Fez historia em minha vida

Jamais esquecerei seus beijos e abraços.

 

Voce partiu mas sempre estará aqui,

Meu coração sempre se lembrará de ti,

Seu nome ecoará sempre em minha alma,

Voce foi minha luz, meu Sol, minha calma.

 

Uma Viagem No Tempo – Final

– Então graças à anestesia geral que você recebeu durante a sua endoscopia, seu cérebro não reagiu bem, foi afetada a área de memória e assim, você perdeu cerca de três anos de memória recente.

Foi com essas palavras que o doutor começou a explicar  o porquê de minha memória estar tão embaraçada. O que tinha acontecido então não é que eu voltei  no tempo, e sim minha mente que estava confusa em que tempo se situar. Segundo o doutor era reversível, ou seja, aos poucos minha mente iria começar a entrar nos eixos. Mas veio então a dúvida: Como seria então a forma de adaptação? Até voltar toda minha memória, como eu iria viver sem me acostumar com o que estava acontecendo. Foi aí que decidi encarar a vida e pedi um resumo para as pessoas mais próximas a mim.

Pra começar, eu não era mais um assistente técnico da empresa na qual eu trabalhava, descobri que a loja de celulares que entrou no lugar dela apenas está lá porque a empresa faliu. Logo me veio um baque, porque três anos atrás estávamos em pleno crescimento, eu estava me certificando com Certificados Profissionais e Internacionais e empresa estava crescendo. Mas não, não existia mais. Até pensei que poderia ter se mudado ou algo assim, mas não. Declarou falência total realmente. E segundo alguns de meus colegas, minha contratadora, uma das sócias, ainda virou corretora de imóveis.

No quesito faculdade logo me despertei. Se três anos tinham se passado indicava que eu já havia terminado. E sim, me comunicaram que sim. Que minha monografia foi muito aplaudida porque nossa base era em materiais em inglês pela falta de material em português e ainda mais elogiados ainda porque nosso tema foi alterado em uma data muito tardia. Sendo assim nossa apresentação foi impecável, memorável com direito até uma dedicatória do nosso avaliador e professor que mais gostávamos, há três anos atrás ele não havia nos dado aula ainda, logo não o conhecia, e na dedicatória estava claro que ele realmente havia se impressionado com o trabalho executado. Além disso, meus colegas de monografia eram pessoas que não conhecia tanto no primeiro período, deve ter sido muito interessante a transição para o crescimento de nossa amizade enfim.

Quanto à casa, descobri que nos mudamos para um bairro que nunca havia morado, o que antes era um apartamento, agora é uma casa e uma bela casa por sinal, isso porque ficava mais fácil para meu irmão ir pra escola dele e pra eu ir para meu novo emprego. Um de meus irmãos estava jogando em um time titular da cidade e o mais legal, ele realmente era profissional. Admito, sempre achei que esse momento chegaria, mas não esperava tão rápido. E o melhor, ele tinha uma filhota linda, não se parecia com ele claro, mas estava lá a pequena. E não bastasse isso, minha afilhada estava enorme, toda faladeira e com uma desenvoltura de dar inveja. Meu pai estava indo bem nos negócios, tanto que tínhamos um carro. Algo que não esperava mesmo e junto com o carro, olho na carteira e vejo minha carteira de motorista definitiva. Lembro-me que ia realmente tirar a carteira dentro de alguns meses e agora ela estava ali, nas minhas mãos. A emoção foi forte, não esperava surpresa tão grande para tal momento de minha vida.

Meu emprego que antes era de assistente técnico agora era Professor de Informática Básica e Avançada. Eu já tinha me imaginado como professor claro, que era meu emprego antes de entrar na empresa já falida, mas quando me disseram que agora eu dava aula para gente de todas as idades, realmente eu fiquei espantado. Fiquei no começo com um receio, já que pra dar aula eu devia ter adquirido uma bagagem enorme para tal, mas quando descobri que ainda tinha dado aula em uma das maiores escola de computação do Brasil, aí que realmente perdi meu chão, porque jamais me imaginaria numa empresa de tão grande reputação, mas saí dela e fui pra outra emergente, e lá estava trabalhando no momento ao lado de ninguém menos que minha ex-professora de Informática Avançada.

Mas claro o que mais me impactou sem dúvida, pela relevância da situação foi o fato único de saber que além de passar de solteiro para noivo, ainda tinha data de casamento marcado, por incrível que pareça, pra dois meses a partir desse. Logo a primeira preocupação foi saber como estavam os preparativos, e depois, será que me lembraria de minha noiva até a cerimônia? Isso me preocupou, afinal era um casamento. Eu não sabia se adiava ou se manteria a data, mesmo porque não sabia como os preparativos estavam caminhando. Mas faltavam míseros dois meses e eu lá, com a cabeça em três anos atrás, solteiro e pensando se ficaria pra titia, mas não, estava casando.

Quando apareceu então minha noiva… Senti uma dor de cabeça que foi aumentando e aumentando e quando notei, apaguei…

Uma Viagem no Tempo – Parte II

Mas enfim. Acessei um grande portal que conhecia e ao olhar a data estava lá: 15/07/2012.

Minhas mãos estavam tremendo de tal forma que tive que largar o mouse. O suor escorria pelo meu rosto como se tivesse virado um copo d’água em minha cabeça. Meus olhos mal piscavam. Minha barriga se mexia como se eu tivesse acabado de engolir algo vivo. E dentro da minha mente me veio um choque tremendo que se eu estivesse em pé, eu cairia. Ainda poderia ser um truque, eu sei, mas se fosse ele previu cada passo meu. Todos os portais, noticias atualizadas, coisas super sem noção alguma. Respiro. Olho novamente e realmente, tudo parece tão real agora, mas só não consigo aceitar a realidade porque realmente é impossível aceitar. Olha só isso, como posso ter deixado passar 3 anos da minha vida? O que fiz durante eles? O que aconteceu comigo?

Eles notaram minha cara de preocupação e pedi para me levarem à minha família urgente. Ele pegou um carro moderno, bonito. Com aquela confusão toda só faltava o carro ser dele também. Disfarçadamente pego os documentos como se não quisesse nada e lá está o nome do pai dele. Outro choque que me fez perder o ponto da respiração por alguns segundos. Meu Deus, como é possível. O que realmente aconteceu porque não estou entendendo nada. Eu só queria acordar caso for um sonho e se não, dormir pra ver se isso tudo passava. Mas a preocupação me privava de meu sono. A curiosidade corroía meu cansaço e o dia apenas estava começando. 

Ele estava me levando para um lado que jamais imaginaria que meus pais fossem morar. E quando ele parou, a casa era linda. E como morava anteriormente em um apartamento, anteriormente que pra mim era atualmente, me maravilhei com o fato. Fui recebido pelo meu irmão mais novo, com um corte de cabelo muito engraçado por sinal, mas o que me surpreendeu nem foi isso. Logo sai uma garotinha correndo com energia gritando com toda a empolgação do mundo meu apelido de infância. Pera, só quem o conhecia era meus familiares e minha afilhada. Tinha algo muito errado nisso. Deve ser a vizinha, mas mesmo assim, como ela conhece tal apelido?

Minha mãe enfim apareceu, corri e dei-lhe um longo abraço e notei, estava mais cheinha, mas parecia mais feliz. Disse que estava morrendo de saudades e que ela não sumisse de mim. Ela ja respondeu que na verdade eu quem sumiria sou eu quem casaria nos próximos dois meses. Outro choque que me deixou catatônico com meus pensamentos. Chico chamou minha mãe e cochiraram. No início minha mãe soltou uma larga gargalhada e disse que era palhaçada minha, mas depois acho que ela caiu em si quando viu a expressão de preocupação no rosto dele. Ela olhou pra mim com uma expressão preocupada e viu que a seriedade em meu olhar estava um pouco real demais pra ser uma brincadeira, e como ela conhece meus trejeitos de mentir, ela entendeu que era real.

Ela perguntou se eu estava bem e tudo o mais, disse que estava com fome, confuso e que estava meio complicado de entender tudo que estava à minha volta. Então foi nesse momento que ela saiu da sala e foi para o quarto. Voltou com um celular na mão e dizendo: É meu filho, se for pra ter esse choque de realidade, que seja de uma vez então. Temos que voltar no médico pra saber o que aconteceu contigo, mas antes vamos almoçar. Com expressão de dúvida me perguntou se eu sabia quem era a tal garotinha que estava ali, brincando com meu tênis. Eu respondi que não, claro, porque ela não me era nada familiar. Foi aí então que outro choque me veio. Ela disse que era filha de meu irmão do meio. Difícil de acreditar no começo, claro, mas após tudo que aconteceu, restava-me aceitar o fato que meu irmão teve uma filha primeiro que eu, e linda por sinal.

Almoçamos, ligamos para a clínica e minha mãe relatou que eu estava com uma espécie de problema relacionado a um exame que tinha feito há três dias. Nesse intervalo, a campainha tocou. Era uma bela moça, morena, sorriso bonito e cabelos belamente cacheados. Mas o que ela disse me deixou ainda mais confuso com a situação: Abre pra mim amor.

Continua

Uma Viagem no Tempo – Parte I

relógio de bolso modernoPesquisando na internet descobri que já foram feitas viagens no tempo sim, porem todas elas para um respectivo futuro e olha que milésimos de segundo ainda por cima. Mas existem algumas situações que se equiparam a tal experimento temporal, mas são alem de reais, perturbadora de início, mas um sonho e uma aventura quando se entende.
Isso me aconteceu praticamente no mês passado. Precisei fazer uma endoscopia, nojento de início claro, afinal que coisa repugnante é aquele tal de contraste. Mas para facilitar minha vida, nada como uma anestesia geral. Aquilo foi me dando um sono que me foi pesando as pálpebras e pesando e pesando…
Abri os olhos. Olho para o teto, me lembrando daquela cena de Lost, a primeira. Enfim, olho pro lado e noto que estou na casa do Chico. Não me lembro de ter vindo pra cá  Ah é, o hospital é aqui do lado. Mas quem me trouxe? Vou comer que to com fome. Pera, a cozinha dele não tinha esses armários todos. Ha quanto tempo não venho aqui? Enfim. Pera, preciso achar alguém  Tenho que perguntar o Chico que dia é hoje. Mas cade ele, ali o pai dele. Deixe me ver. Pera, se é quarta feira tenho que ir trabalhar. Será que eu trouxe uniforme? Ahh, vou assim mesmo.
Com esses primeiros pensamentos do dia mal imaginava o que seria de meu dia. Mas para minha ira momentânea  minha carteirinha de passe não está na carteira. Ainda bem que o dinheiro estava na carteira. Mas me voltaram troco errado, como tava com pressa deixei pra la. Cheguei no Shopping que fica minha empresa finalmente. A Cafeteria mudou tanto de ontem pra hoje. Ta mais moderna, mais chique. Uau. Vou tomar meu chá de sempre. Pronto. Agora entrar pra empresa logo porque…porque… mas… O que está acontecendo? Tem algo muito errado. No lugar da empresa que trabalho tem uma loja de celular? Não não… Tem algo errado.Vou pra ligar pro meu chefe mas meu celular não está comigo. E agora? Como minha empresa muda de lugar tao de repente assim? Do nada? E como a outra loja foi montada tao depressa? Vou pra casa então.

Pego novamente o ônibus e só ai que notei que são ônibus novos. Cheguei no meu condomínio e outras coisas mudaram. O muro da escola, os prédios em construção ja estavam construídos, o prédio estava com pintura nova e o supermercado estava ampliado. Cheguei na portaria pedi para entrar e o porteiro não autorizou minha entrada e o pior. Me disse que o apartamento estava para alugar. Palavras que ecoaram na minha mente de uma forma que não entendi sob forma alguma. Pra onde foi minha família, pra onde foi minha casa? Restava-me ir então para meus parentes que moravam logo ali ao lado.

Chegando lá sou recebido com alegria como sempre, elas com o visual um pouco mudado, minha tia parecia mais velha, deve ser preocupação. Mas algo me chamou a atenção. Uma pergunta pela qual eu não esperava. E como está sua noiva? Como assim, era uma piada ou sei lá, só sei que levei na esportiva porque sempre brincalhões eles gostavam de uma galhofa. Mas ai atentei para um detalhe que não esperava: Eu estava usando uma aliança de noivado. Pera. Eu to noivo? Tem algo de muito errado, mas muito errado mesmo. Pedi licensa e voltei ao meu ponto de início. A casa de meu amigo.

Cheguei lá, expliquei tudo o que aconteceu pra ele. No início claro que ele achou ser tudo uma brincadeira, mas depois ele viu que meu rosto transparecia uma preocupação enorme e viu que a coisa estava ficando um pouco séria. Daí vem a pergunta básica. Ele me perguntou a data que estávamos. Eu pensei um pouco, mais um instante e enfim respondi que estávamos em Setembro de 2009. Ele riu de começo e depois ficou sério, porque viu a seriedade com que passei a informação pra ele. Mas o choque ainda estava por vir.

Ele me revelou que na verdade estávamos em Julho de 2012. Ri da frase que ele tinha me dito, claro, eu me lembrava bem que no dia anterior eu tinha entregue um trabalho de faculdade e apresentado algumas tarefas e elogiado pelo professor, sabe como é né, querendo aparecer no primeiro período. Me lembro que no meu serviço tinha aprendido as matérias para uma prova de certificação que era em inglês e tudo o mais, até achei legal porque eu tinha almoçado um sanduíche assado que vendia perto do meu serviço. E lembro que minha mãe estava brigando porque nao lavei meu uniforme. Mas agora ele vem me dizer que estamos em 2012? Que tipo de coisa sem graça era essa. Ele tentou usar alguns argumentos para me provar. Calendários, agendas, tarefas dele. Mas nada disso me convenceu, claro que não. Até que ele acertou-me no ponto que não duvido. A internet. Ao sentar em frente a um computador muito bom por sinal, quando foi que ele comprou hein? Mas enfim. Acessei um grande portal que conhecia e ao olhar a data estava lá: 15/07/2012.

Continua